Assinalando o início de uma nova fase, o Primeiro Ministro português, Dr. António Costa afirmou que a turbulência, nas relações entre os dois países, é passado, iniciando, ambas as partes, um novo acordo de cooperação estratégica.

No primeiro dia da visita oficial do Dr. António Costa a Angola realizou-se, no centro de Congressos Epic Sana, um encontro com os empresários portugueses presentes com investimentos no mercado angolano. Neste núcleo o Grupo Ideias Dinâmicas foi representante, e ilustre convidado, das empresas com relevante desempenho nesse mercado. Num discurso marcadamente económico, reforçou a confiança no futuro e, segundo as palavras do Primeiro-Ministro português, – “esta nova fase vai além do programa estratégico para a cooperação (2018/2022) nos domínios tradicionais da saúde e da educação.”, estando também alargado a áreas de “cooperação e soberania como a defesa, a cooperação técnica policial ou a administração tributária.” Este reforço das relações bilaterais são um evidente sinal da fortificação das relações e com grandes perspectivas “de se aprofundarem ao longo dos próximos anos.” – ainda segundo o líder do executivo português.

Este sinal de confiança visa aprofundar as relações económicas, entre os dois países, tendo anunciado o aumento da “linha de crédito de apoio às exportações dos atuais 1.000 para 1.500 milhões de euros. esta linha de crédito ampliada e renovada é um sinal muito importante da vontade dos dois países continuarem a estreitar as suas relações económicas.”

Outro ponto importante nesta visita foi a assinatura para pôr termo a uma prática que os empresários sempre consideraram injusta e lesiva para a sua atividade – a dupla tributação. O fim desta medida, há muito discutida, é um outro claro sinal da normalização das relações entre Portugal e Angola.

Por fim, a possibilidade de um acordo para a isenção de vistos, é ainda prematura. Pertencendo Portugal, como a maior parte dos países europeus, ao espaço Schengen, não possui a autonomia para exercer a reciprocidade. Segundo as palavras do Ministro das Relações Exteriores – “Não podemos ter desvantagem para os cidadãos angolanos. Isentamos aqueles que nos podem isentar. E os países da União Europeia, os que fazem parte do Schengen, não têm essa capacidade.” , não obstante, “mas estamos a encontrar caminhos da facilitação de vistos para que, de facto, não haja obstáculos.”

Este encontro encerrou com um contacto direto entre o Exmo. Sr. Primeiro Ministro, Dr. António Costa e os empresários presentes, onde se inteirou de acordo com as diferentes áreas de atividade dos diferentes cenários, dificuldades e sucessos obtidos neste mercado em crescimento e solidificação.

© Todos os direitos reservados | Política de Privacidade